quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Famílias de militares protestam na porta de quartéis no Rio Grande do Sul por falta de salário dos policiais



As agências bancárias que abrirem nos dias em que não houver policiamento ostensivo nas cidades do Estado terão de pagar multa de R$ 100 mil. A decisão, fixada na manhã desta quarta-feira, é do juiz do Trabalho substituto Vinícius Daniel Petry, da 3ª Vara do Trabalho de Porto Alegre. Ontem, a Justiça do Trabalho havia determinado que as agências não funcionassem nos dias de paralisação dos policiais militares (PMs) para garantir a segurança dos trabalhadores. A decisão acatou pedido da categoria dos bancários. Em protesto contra o parcelamento dos salários pelo governo do Estado, parte dos policiais militares iniciou um aquartelamento na terça-feira, deixando de fazer o policiamento ostensivo. PMs grevistas e familiares de brigadianos ainda bloquearam a saída de viaturas de quartéis. O comandante-geral da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas Moreira, afirmou, porém, que o policiamento estava garantido. Nove instituições bancárias (Banco do Brasil, Banrisul, Itaú/Unibanco, Safra, Santander, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC e Sicredi) serão notificadas da determinação judicial e da multa estabelecida em caso de descumprimento. Caso seja aplicada, o valor da infração será revertido ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD).  
                                                      Fonte: Zero Hora
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário