domingo, 18 de outubro de 2015

Frustrado, diretor da Dênio Moreira pede exoneração




Tenente Adão diz que deixa a penitenciária descontente com o sistema prisional.

IPABA – Depois de 14 anos como diretor da Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, o Tenente Adão dos Anjos pediu exoneração do cargo. A solicitação foi reforçada na última quinta-feira (15), quando o tenente viajou para Belo Horizonte e informou a Subsecretaria de Assuntos Prisionais (SUAPI) que seu pedido é irrevogável.

No documento, entregue no dia 7 deste mês à SUAPI, o diretor disse que precisava parar as atividades devido à idade (70 anos) e que precisava cuidar da saúde. Até o dia 20 (terça-feira), Adão dos Anjos estará de licença médica. Até lá, ele aguarda a publicação da exoneração no Diário Oficial do Estado.

ATIVIDADES 

O Tenente Adão dos Anjos é diretor da Dênio Moreira desde 2001, quando ainda existia a Secretaria de Estado da Justiça e Direitos Humanos. Ele foi chamado para assumir a unidade após uma rebelião ocorrida naquele ano e de lá para cá nunca mais se ouviu falar em algum tipo de motim dentro do presídio.
Ainda segundo o diretor, há 14 anos, a Secretaria criou o programa “Perspectiva” que tem como objetivo a recuperação do preso cumprindo a Lei de Execução Penal dando aos detentos o direito a escola, trabalho e lazer.
“Mas, na verdade não é bem isso que se faz no sistema prisional brasileiro. E em Ipaba, a gente sempre cumpriu esse programa e conseguimos provar que tem como recuperar um preso. Todo mundo sabe que a maioria dos presídios vive problemas como superlotação, mal atendimento aos familiares”, citou.

MODELO

A penitenciária de Ipaba é considerada um modelo no sistema prisional para o país inteiro. Foi apontada como a segunda melhor em Minas Gerais. No entanto, segundo o diretor, há quem não acredita no tipo de trabalho que é feito dentro da penitenciária, o que o fez ficar descontente com sistema. “A gente fica ouvindo que o presídio é referencial há 14 anos, mas já cheguei a ouvir que esse tipo de trabalho humanizado só ia perdurar enquanto eu estivesse no sistema. Esse modelo, então, que a gente implantou não adiantou nada. Como se eu tivesse fazendo isso para aparecer. Mas, não é. Eu acredito que se der ao ser humano condições de recuperar, ele sai melhor do que entrou. O que me deixa triste é isso. Que modelo é esse que eles querem implantar se o modelo de Ipaba não serviu?”, questiona.


AMEAÇAS

Durante todos os anos em que o Tenente esteve à frente da Dênio Moreira, houve murmurinhos de que se algum dia ele saísse haveria rebelião dentro da penitenciária. Questionado sobre o boato, o diretor riu constrangido e disse não acreditar que isso irá ocorrer. “Espero que quem me substituir saiba ter ‘jogo de cintura’ para que não haja motim ou rebelião, como dizem que vai ter. A última rebelião que teve foi há 14 anos. Não tem uma forma mágica de impedir isso. É só cumprir o que a execução penal e os direitos humanos mandam e punir o preso quando comete falta. O preso não fica só recebendo benefício, não”, explicou.

70 ANOS

Em seus 70 anos de vida, 50 foram dedicados ao funcionalismo público como servidor da Polícia Militar (aposentado) e depois como diretor de presídio. Após tantos anos, Tenente Adão disse que sai triste do sistema devido aos boatos envolvendo seu nome. “Além de dizer que eu estava praticando corrupção dentro da penitenciária, fiquei sabendo que estou preso no quartel da PM depois de ser ouvido no Fórum. Disseram terem me visto lá. E não sei do que estou sendo acusado. Mas saio com a sensação de dever cumprido e um legado deixado para meus filhos”, disse. Tenente Adão disse que pretende entrar com uma ação contra aqueles que espalharam o boato de que ele estaria preso.



← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário