quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Valadares pode ter racionamento de água




Desde o ano passado, vêm sendo feitos esforços para que a distribuição de água não fique comprometida em Valadares. Bombas submersas foram utilizadas para aumentar a captação de água no rio Doce, depois de terem sido registrados níveis bem abaixo do normal na régua do Saae que mede o nível do rio. Mas mesmo assim o risco de racionamento não está afastado na cidade.

O diretor-geral do Saae, Vilmar Rios, explica que estudos técnicos estão sendo realizados devido à “real possibilidade” de haver um racionamento de água. “O que significa esse racionamento? É que alguns bairros vão ficar comprometidos, em benefício de outros, e vice-versa. Estamos fazendo esses estudos para não haver nenhum problema social, absolutamente nenhum. Como a captação ainda está resguardada, estamos fazendo esses estudos para na hora que for preciso estarmos com eles prontos”, afirmou. E ressaltou que a medida deverá ser adotada “em breve”, devido à falta de chuvas.

Rios disse ainda que recursos emergenciais para que a medida não fosse adotada já foram feitos. “Aumentamos as janelas de captação, melhoramos as bombas do Vila Isa e do Santa Rita e compramos as duas bombas submersas para a ETA central. As medidas de emergência que tomamos no ano passado foram eficazes. Só que se não chover e não houver uma conscientização da população... Acho que a população ainda não tem a real noção do problema que estamos enfrentando, um problema que é recorrente nas mídias, mas as pessoas ainda não sentiram na pele, porque não tivemos que fazer nenhuma medida drástica. Estamos alertando a partir de agora que não vamos deixar de fazer um racionamento, se necessário for”, afirmou.  

A captação, segundo o diretor do Saae, “está normalizada”. “Não estamos ainda racionando, mas existe uma possibilidade real de isso acontecer. Precisamos, sim, da colaboração de todos”, disse.
LIGAÇÕES CLANDESTINAS
O diretor-geral do Saae falou ainda sobre as ligações clandestinas. De acordo com ele, são mais de três mil denúncias na cidade. “Temos demandas com relação a ligações clandestinas. Isso é um gargalo que todas as concessionárias têm. Estamos aqui mais ou menos com três mil denúncias de ligações clandestinas, e isso é uma ocorrência fatídica para uma autarquia como o Saae. As pessoas devem denunciar, devem nos ajudar. Isso nos ajuda”, concluiu.


Fonte: Diário do Rio Doce
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário