domingo, 15 de novembro de 2015

Prefeito de Baixo Guandu questiona proporcionalidade de sanção aplicada a empresa responsável pela catástrofe nos Estados de Minas e Espirito Santo




"Se o cidadão pesca no rio com barco fora da época permitida, ele é preso. Se ele mata uma capivara, ele é preso. E quem extermina toda a FAUNA de um rio? Vai ficar impune? Não pode ficar!" Neto Barros, prefeito de Baixo Guandu.



Com estas palavras o prefeito da cidade de Baixo Guandu questiona as autoridades a cerca da responsabilização de todos os responsáveis por esta catástrofe que ocorreu nas últimas semanas.

Também coadunamos das mesmas ideais do prefeito e realizamos os mesmo questionamentos. Não se pode mais conceber a instalação de empresas em nosso país que não tenham o real comprometimento com as questões de preservação ambiental.

Sabedores de que o momento é de acolhimento e ajuda humanitária não estaremos ampliando  o campo de discussão, contudo não deixaremos estes questionamentos passarem despercebidos no momento oportuno.
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário