quinta-feira, 16 de junho de 2016

Militar consegue transferência através de Mandado de Segurança



Tenho acompanhado algumas decisões judiciais interessantes, como a anulação de transgressões disciplinares, aplicadas sem provas e por vezes consideradas desproporcionais e irrazoáveis, e, agora, mais uma decisão no mínimo interessante: a transferência de um policial militar por doença de pessoa da família.

A decisão de caráter liminar ainda depende de análise do mérito, mas o militar já foi transferido e, acredito, dificilmente retornará à Unidade de origem.

Entenda o caso: O militar requereu sua transferência fundamentando seu pedido na alínea "a"  do parágrafo 3º do artigo 8º, da Resolução 4.123/2010, que dispõe sobre os procedimentos para a movimentação por interesse próprio para cuidar de pessoa da família. No caso em tela sua genitora que possui problemas cardíacos e o militar desenvolveu depressão em consequência de preocupação com o estado de saúde da mãe. Além da Resolução 4.123/2010 o militar usou como fundamento os artigos 174 e 175 da Lei 5301/1969 (Estatuto dos Militares do Estado de Minas Gerais). Mesmo após sindicância social com parecer favorável, e preenchendo todos os requisitos previstos na Resolução 4.123/2010, o pedido de transferência do policial militar foi indeferido pela Administração Militar. Diante da negativa, restou ao militar impetrar um Mandado de Segurança, pleiteando a concessão de medida liminar determinando a sua movimentação de Belo Horizonte para Juiz de Fora, sendo o pedido deferido pelo Excelentíssimo Juiz Adriano de Mesquita Carneiro da 5ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte.Conheça a decisão na integra>>>>>
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário